Blog

Brincar, Brincar e Brincar!

Olá!!!

Você já percebeu que atualmente as brincadeiras mais comuns envolvem computadores, joguinhos, vídeo games, TV e até celulares? Pois é, a tecnologia evoluiu muito a nosso favor e trouxe, é claro, muitos benefícios e facilidades para o dia-a-dia! No entanto, onde foram parar as brincadeiras de antigamente, aquelas diversões deliciosas em que nos sentíamos livres, movimentávamos o esqueleto e ríamos sem parar?

Me lembro que na minha infância já brinquei um pouquinho de tudo!!! Já subi em árvore e caí… Já nadei de roupa e levei bronca… Já brinquei na chuva e foi delicioso… Já brinquei de fazer perfumes, comidinha e até fui dentista com as ferramentas do meu pai, acreditam? Pulava elástico na escola, pulava corda com os amigos do prédio (“salada, saladinha, bem temperadinha, com sal, pimenta, fogo!!!” alguém lembra? rs…), amava pular amarelinha, trocar papéis de carta, enfim… brincava muito, brincava feliz e meus pais não precisavam comprar um laptop ou uma TV de última geração para que eu pudesse me divertir!

Sempre penso nisso e até hoje me perguntam onde foram parar essas brincadeiras… Será que sumiram? Desapareceram? Foram esquecidas ou resgatadas por algum E.T. para alegrar o seu planeta?

Nada disso!!! Sempre há espaço para relembrar e resgatar a delícia das brincadeiras de antigamente!!! Por que não ensinar para nossos pequenos brincadeiras ao ar livre, atividades mais saudáveis e alegres? Temos que lembrar que as brincadeiras atuais, embora estimulantes e inteligentes, são muito solitárias! Às vezes, uma criança passa horas em frente ao computador jogando SOZINHA! E o convívio com os amigos? E a interação social? São fatores fundamentais para o desenvolvimento saudável e satisfatório dos seres humanos.

Hoje vou propor a vocês um resgate às brincadeiras antigas… do nosso tempo, do tempo dos nossos pais, dos nossos avós e até bisavós! Brincadeiras não têm idade e brincar é sempre gostoso! O importante é BRINCAR, BRINCAR e BRINCAR e, independente da idade, sempre preservar um coração de criança!

Abaixo estão 10 sugestões de brincadeiras antigas para vocês curtirem e se divertirem muito com seus pequenos!

Amarelinha

Joga, pula e agacha! Para brincar de amarelinha é preciso desenhar no chão um caminho dividido em casas numeradas. Após jogar uma pedrinha em uma casa – em que não poderá pisar -, a criança vai pulando com um pé só até o fim do trajeto. Ao chegar, deve retornar, apanhar a pedrinha e recomeçar, dessa vez, atirando a pedra na segunda casa e depois nas seguintes até passar por todas. O participante não pode pisar, perder o equilíbrio ou jogar a pedra na risca nem atirá-la fora da risca. Se isso acontecer, ele perde a vez. Vence quem completar o percurso primeiro.

Pular corda

“Com quem você pretende se casar?” Você já pulou corda cantando esta música? A brincadeira funciona mais ou menos assim: duas crianças batem a corda bem próxima ao chão, enquanto as outras pulam. Os saltos devem seguir uma sequência determinada e mudam de acordo os comando de voz indicados na cantiga. A altura da corda vai aumentando aos poucos. A brincadeira termina quando resta apenas um participante capaz de pular a corda àquela altura.

 

Pique-bandeira

A brincadeira é assim: as crianças são divididas em dois times de três a sete participantes. Cada grupo fica com um lado da quadra. Na linha de fundo do campo de cada grupo fica a bandeirinha do time. O objetivo do jogo é roubar a bandeira do adversário e proteger a sua, tudo isso atravessando os campos correndo. Se algum participante for pego, ele precisará ficar paralisado no lugar. O time que resgatar a bandeira primeiro é o grande vencedor!

 

Pular elástico

A brincadeira de elástico vai ficando mais difícil conforme sobe a altura dele, que começa nos calcanhares e vai até o pescoço. O ideal é que duas crianças fiquem aproximadamente 2 metros afastadas uma da outra, enquanto a outra se posiciona no centro do elástico para fazer todos os movimentos da cantiga. É megadivertido! Pode pular com os dois pés em cima do elástico, com os dois pés fora dele, saltar com um pé só e depois com o outro. Se errar, o participante troca de posição com um dos colegas que estão segurando o elástico.

Esconde-esconde

Esta brincadeira é fácil! Uma criança deve ser eleita como pegadora. As demais precisam correr para de esconder e fugir dela. Quem for apanhado assume a posição de pegador. Os participantes podem, também, escolher um pique, local designado pelo grupo como neutro, onde se fica a salvo.

Bolinha de gude

Para brincar de bolinhas de gude, primeiro, cava-se um buraquinho, conhecido como poça. Ao acertar a bolinha dentro do buraco, o participante ganha o direito de lançar sua bolinha contra as dos adversários. As bolinhas atingidas são conquistadas. Se errar, a vez passa para o próximo. O jogo acaba quando um participante conseguir ganhar todas as bolinhas.

Queimada

Vamos brincar de queimada? Primeiro, os jogadores devem ser divididos em duas equipes – cada uma ocupa metade da quadra. Neste jogo, a bola é usada para atingir membros do time rival. Se eles conseguem agarrá-la, estão salvos. Se são queimados (quando a bola tocar alguma parte do corpo deles e cair no chã), vão para o fundo do campo adversário, chamado morto ou cemitério. Vence o time que eliminar todos os participantes da equipe concorrente.

Cinco-marias

As “marias” são saquinhos de pano cheios de areia. O objetivo deste jogo é pegá-las do chão, jogando cada uma delas para o alto sem soltar as anteriores, em sequências cada vez mais difíceis. Quem erra perde a vez e depois retoma de onde parou. Ganha quem avançar mais fases.

Passa anel

Uma criança fica com o anel, enquanto as outras do grupo se sentam uma ao lado da outra com os braços apoiados no colo e com a palma das mãos unidas. A “escolhida” segura o anel entre a palma das mãos e passa as mãos pelas mãos dos amiguinhos. Quando resolve parar, abre as mãos mostrando que estão vazias e pergunta para um dos participantes: “Com quem está o anel?”. Se ele acertar, será o próximo a passar. Se errar, quem recebeu o anel é que passará.

Adoleta

“A-do-le-tá, Le-pe-ti pe-ti-pe-tá, Le café com chocolá. A-do-le-tá…” Há inúmeras brincadeiras feitas com as mãos, cada uma com músicas e movimentos específicos, como adoleta e babalu, mas no geral todas são bem parecidas. Primeiro, começa-se batendo as palmas e fazendo os gestos devagar. Com cuidado, todos vão aumentando a velocidade para não errar.

 

Aproveitem bastante com seus pequenos e vamos brincar, brincar sempre, brincar de ser feliz!

Beijo doce e colorido,

JÔ BELIZ